jan 08
microplásticos e agrotóxicos na água

Microplásticos e agrotóxicos na água: como evitar?

Você sabia que, além do risco de contrair doenças, ainda é possível encontrar microplásticos e agrotóxicos na água?

Existem muitos contaminantes emergentes na água, que os olhos não veem, mas o corpo pode sentir. Resíduos de medicamentos, bem como químicos industriais são perigos invisíveis que podem estar na água.

Devido à larga utilização de plástico, os microplásticos podem ser encontrados em diversos lugares. Nos nossos lares, trabalho, alimentos, bem como na água e no ar que respiramos. Essas pequenas partículas podem ser descartadas como efluentes e, assim, entram no sistema de tratamento de esgoto.

Antes de mais nada, é preciso saber que é possível evitar o consumo desses contaminantes. Neste artigo, vamos esclarecer possíveis dúvidas e apontar o caminho da prevenção contra microplásticos e agrotóxicos na água .

As estações de tratamento não eliminam esses contaminantes?

contaminação por microplásticos e agrotóxicos na água

Não é possível afirmar se as Estações de Tratamento de Água (ETAs) os eliminam. Não existe controle específico de microplásticos e agrotóxicos, já que esta não é uma exigência da Portaria em vigência. 

Por outro lado, alguns dos processos de filtração realizados nas ETAs podem remover partículas de determinados tamanhos. Os microplásticos estão compreendidos dentro do tamanho de partículas entre  ≥ 1µm e ≤ 5 mm. De acordo com o processo adotado pela ETA (gradeamento, floculação e filtragem), talvez seja possível reter microplásticos. Já com os agrotóxicos, a questão é mais complexa.

Os agrotóxicos são quaisquer substâncias ou mistura de substâncias utilizadas para prevenir, destruir ou controlar pragas. Desde já é bom ressaltar que os agrotóxicos encontrados em águas potáveis nos ensaios mais recentes devem estar dentro do limite permitido. 

Logo, a água com a presença de agrotóxicos acima do limite estipulado não é própria para consumo humano.

As ETAs fazem o uso de carvão ativado para filtrar ou reter substâncias orgânicas, assim como os agrotóxicos. Algumas estações mais modernas fazem o uso da membrana filtrante, que ajuda ainda mais no processo de purificação da água. 

Porém, nenhum dos processos já citados são garantias de eliminar 100% microplásticos e agrotóxicos. Se a retenção dos microplásticos depende dos processos, assim também funciona com os agrotóxicos. Tudo depende do tempo de contato da água com o carvão e, principalmente, das concentrações de agrotóxicos na água.

Deve existir uma relação entre quantidade de carvão ativado, tempo de contato e concentração de agrotóxicos. O resultado é obtido de acordo com a quantidade de agrotóxico que o carvão recebe. 

Em alguns casos, encontra-se o equivalente a 2.706 vezes o limite máximo permitido. Assim, o processo de filtração não será eficaz na retirada, ficando saturado e perdendo efeito.

Quais produtos evitam o consumo de microplásticos e agrotóxicos?

Primeiramente, vamos abordar os microplásticos: pequenas partículas de plástico presentes na água. Por isso, sua eliminação é por filtração, por meio de barreiras físicas mesmo. 

Os produtos de melhoria da qualidade da água, como filtros e purificadores retêm as partículas por filtração. Logo, todos os produtos (de todos os fabricantes) são ensaiados e devem ter essa Classificação (NBR 16098) definida.

Purificador de água europa da vinci HF

Na nossa linha, temos diversos produtos capazes de eliminar os microplásticos. Daremos destaque aos purificadores com módulo de retenção de bactérias. Produtos naturais como o Da Vinci HF, juntamente com refrigerados como o Summer Line HF têm retenção de partículas Classe A. Isso significa que são capazes de eliminar quaisquer partículas dentro da faixa de ≥0,5 a <1 µm.

Você já deve ter entendido que microplásticos e agrotóxicos são contaminantes diferentes. O primeiro é uma partícula sólida e o segundo é um agente químico. Já mencionamos que a quantidade de agrotóxicos encontrada na água varia de acordo com sua região e ETA. 

Por isso, para garantir a eliminação completa dos agrotóxicos, é necessário que eles estejam dentro dos valores permitidos. Se for este o caso, a eficiência do carvão ativado nos purificadores é comprovada.

Por outro lado, é complexo mensurar esta eficiência. A qualidade da água que o purificador vai receber é determinante e o uso indiscriminado de agrotóxicos dificulta este controle.

Retomando: como se prevenir contra microplásticos e agrotóxicos

Enfim, é importante lembrar que ainda não sabemos ao certo sobre os efeitos desses agentes contaminantes no nosso corpo. Definitivamente, sabemos de uma coisa: eles são prejudiciais. Há algumas pesquisas e estudos que apontam para diversos problemas causados pela ingestão de microplásticos e agrotóxicos.

Alguns microsplásticos são tóxicos e estão ligados a disfunções hormonais, imunológicas, neurológicas e reprodutivas. Da mesma forma, os agrotóxicos podem causar problemas neurológicos, dificuldades respiratórias, irritações na pele, gastrointestinais, além de outras doenças.

Existem ainda outras medidas para prevenir a ingestão de microplásticos no dia a dia. Prefira a escova de dentes de bambu, barbeador de metal, roupas de algodão orgânico e alimentos sem embalagens plásticas. O consumo de alimentos orgânicos é igualmente importante para tentar reduzir a ingestão de agrotóxicos.

Gostou deste texto? Então aproveite para compartilhar e ajude a levar mais informação às pessoas.

purificador de água gelada com filtro Europa